Nos dias atuais os desafios ambientais estão, cada vez mais, urgentes e presentes no nosso cotidiano!

Quintal Orgânico Itinerante é uma proposta de ação que pretende contribuir difundindo por espaços educativos, culturais e associativos as práticas ecológicas da compostagem, do plantio saudável de plantas comestíveis, medicinais, ornamentais, da reutilização de materiais descartados, da incorporação de uma alimentação saudável, da arteducação ambiental, entre outras.

Pretende-se incentivar a alteração das atitudes adotadas como comuns na atual relação com a natureza, e, contribuir na organização e viabilidade de outras produções coletivas de alimentos saudáveis, de materiais eco-pedagógicos (escritos, imagéticos, sonoros, teatrais), enfim, contribuir com o fortalecimento da cultura ecológica. Outro objetivo é o fortalecimento de um coletivo de pessoas que atue questionando os chamados 'problemas urbanos', e, que ao mesmo tempo, aponte alternativas relativamente autônomas para tais problemas, tais como: saídas ecológicas para resíduos sólidos (reciclagem de papel para produção de cadernos, cartões, entre outros), produção de adubo orgânico e hortas urbanas (comunitárias e com reciclagem), produção de ações teatrais polêmicas e dinamizadoras de denúncias e resistências contrárias a opressão.rupo de estudo e bio-construção/ação).

Não esperemos!

O QUINTAL ORGÂNICO ITINERANTE é uma gota no oceano mas também é a possibilidade de começar a fazer diferente. Separe o lixo, plante uma árvore, cumprimente seu vizinho, componha um samba...





Web rádio - Quint@l Orgânico

sábado, 26 de dezembro de 2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Natal no Quint@l

Olá amig@s!

Se você estiver de bobeira neste Natal, o Quint@l estará aberto a visitações dias 24 e 25 de dezembro a partir das 9 horas da manhã.

Apareça por lá!




quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Dia 20/12/09 confraternização no Quint@l Orgânico, São Caetano do Sul - SP

Olá amig@s!

Chegamos ao final de 2009 e o que vemos por aí? Natal, Ano Novo, Papai Noel, decorações, canções natalinas, ceia, reveillón. Diversos fatores que incentivam (ou obrigam?) a frenética corrida aos shoppings para as compras dos "presentes". ..Sempre esta tradição. Será que tudo isso não precisa mudar?

Os integrantes do coletivo Quint@l Orgânico com o constante espírito solidário, humanitário, o da prática contracultural, da busca por uma mudança de estilo de vida mais saudável, benéfico e natural convidam para a primeira "Confraternização Contracultural" a ser realizada dia 20 de dezembro de 2009 em São Caetano do Sul, ABC Paulista.

Para a ocasião memorável o coletivo preparou uma programação especial:

  • Sorteio e entrega dos presentes do “Amigo Secreto Reciclado” (traga objetos que não usa mais e/ou materiais para fazer o presente no dia);
  • Debate da agenda 2010 do “Quintal Orgânico”
  • Danças Circulares;
  • Lanche comunitário (traga algo de comer ou beber e canequinha plástica);
  • Sarau com arte experimental;

Nós do Quint@al esperamos que possa participar da festa desta família de amigos e quem sabe ampliar a quantidade/qualidad e de laços afetivos e conhecer outras práticas cotidianas.

E vamos a partir do final deste ano trocar o costume do "comprar' para o "reciclar". Reciclar presentes, pensamentos, sentimentos, ideias, energias, relações. Não somos capazes de ver, mas é possível perceber e sentir a energia acúmulada em torno das práticas consumistas, possessivas tão costumeiras e de objetos amontoados e abandonados sem uso em diversos cantos da casa...Nosso planeta Terra é pequeno demais para tanto consumo e acúmulo de material.


--------------------------------------------------------------------------------

O QUE?
CONFRATERNIZAÇÃO CONTRACULTURAL


ONDE?
QUINTAL ORGÂNICO (meio ambiente, cultura e educação)
Rua Ulisses Tornicasa, s/n
Vila São José, São Caetano do Sul, SP
(esquina com a Luís Claudio Capovilla Filho, próximo ao fórum, ao Parque Chico Mendes e a Estrada das Lágrimas)


MAPA DE LOCALIZAÇÃO

QUANDO?
Domingo, dia 20 de dezembro de 2009, das 11 às 16 horas.

Informações:
quintalorganicoscs@gmail.com


Obs.: Se gostar repasse para os amigos


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Seu Zé!

Grande pequeno homem que desde a Bahia até Diadema espalha certeza: a luta por um mundo melhor.
Repleto também de saberes do mato, capina, poda, amontoa o mato, planta. Seu Zé é a produção, o envolvimento, a luta do Quintal!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Desenvolvimento (in)sustentável?

"Desenvolvimento sustentável", fórmula mágica com o qual o sistema mundial de convivência e de produção pretende resolver os problemas que ele mesmo criou, por mais oficial que seja, representa uma contradição, um equívoco e uma ilusão. É uma contradição, pois, os dois termos se rejeitam mutuamente. A categoria "desenvolvimento" provém da área da economia dominante. Ela obedece à lógica férrea da maximalização dos benefícios com a minimalização dos custos e do tempo empregado. Em função deste propósito se agilizaram todas as forças produtivas para extrair da Terra literalmente tudo o que é consumível. Ela foi torturada pela tecno-ciência e submetida a um assalto sistemático de suas riquezas no solo, no subsolo, nos ares e nos mares. O resultado foi uma produção fantástica de bens materiais e serviços mas distribuídos sem justo equilíbrio. Essa falta de equilíbrio está destruindo a paz entre os povos e ameaçando a biosfera, submetida a estresse quase insuportável.

A categoria "sustentabilidade" provém do âmbito da biologia e da ecologia, cuja lógica é contrária àquela deste tipo de "desenvolvimento". Por ela se sinaliza a tendência dos ecossistemas ao equilíbrio dinâmico e se enfatizam as interdependências de todos, garantindo a inclusão de cada ser, até dos mais fracos. Como se depreende, unir esse conceito de sustentabilidade ao de desenvolvimento configura uma contradição nos próprios termos.

Dizíamos ainda que o "desenvolvimento sustentável" representa um equívoco. Sim, pois, se alega como causa aquilo que é efeito. Diz-se que a pobreza é a causa da degradação ecológica. Portanto, quanto menos pobreza e mais desenvolvimento menos degradação. Analisando, porém, as causas reais da pobreza e da degradação vêem-se que resultam exatamente do tipo de desenvolvimento praticado. Ele explora as pessoas empobrecendo-as e dilapida os recursos da natureza degradando-a. Por isso, a utilização política da expressão "desenvolvimento sustentável" representa uma armadilha do sistema: assume os termos da ecologia (sustentabilidade) para esvaziá-los e assim mascara a verdadeira causa do problema social e ecológico (tipo de desenvolvimento) que ele mesmo é. Por fim, a fórmula "desenvolvimento sustentável" significa uma ilusão. Postula-se um desenvolvimento que se move entre dois infinitos: o infinito dos recursos da Terra e o infinito do futuro. A Terra seria inesgotável em seus recursos. E o futuro para frente, ilimitado. Ora, os dois infinitos são ilusórios: os recursos são finitos e o futuro é limitado, por não ser universalizável. Se a Índia quisesse ser como a Inglaterra, precisaria de duas Terras para explorar, como já dizia ironicamente Gandhi nos anos 50.

O "desenvolvimento sustentável" não é uma panacéia, mas um placebo. Persistir em aplicá-lo, é enganar o paciente, talvez, matá-lo. É o que tememos com a biosfera. Entender tal equívoco é entender o por quê do impasse na Cúpula da Terra no Rio-92 e agora em Johanesburgo-2002. A categoria mestra é sustentabilidade e não desenvolvimento. Precisamos a Terra, a sociedade e a vida humana sustentáveis. Em seguida o desenvolvimento. É o que os senhores do "desenvolvimento (in)sustentável" não entendem. O Titanic está vazando água por todos os lados. Não temos tempo a perder. Importa despertar senão pode ser tarde demais. Isso não é ser apocalíptico, mas simplesmente realista.


Leonardo Boff é teólogo da Libertação, escritor, professor e conferencista, doutor em Teologia e Filosofia pela Universidade de Munique (Alemanha), professor de Teologia e Espiritualidade em vários centros de estudo e universidades no Brasil e no exterior. Autor de mais de 60 livros nas áreas de Teologia, Espiritualidade, Filosofia, Antropologia e Mística.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O que é disciplina? O que ela faz?


De uma maneira global, pode-se dizer que as disciplinas são técnicas para assegurar a ordenação das multiplicidades humanas(...) O que é próprio das disciplinas, é que elas tentam definir em relação às multiplicidades uma tática de poder que responde a três critérios:
  • tornar o exercício do poder o menos custoso possível (economicamente, pela parca despesa que acarreta; politicamente, por sua discrição, sua fraca exteriorização, sua relativa invisibilidade, o pouco de resistência que suscita);

  • fazer com que os efeitos desse poder social sejam levados a seu máximo de intensidade e estendidos tão longe quanto possível, sem fracasso, nem lacuna;

  • ligar enfim esse crescimento ‘econômico’ do poder e o rendimento dos aparelhos no interior dos quais se exercem (sejam os aparelhos pedagógicos, militares, industriais, médicos).

Em suma, fazem crescer ao mesmo tempo a docilidade e a utilidade de todos os elementos do sistema.


Fonte

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: o nascimento das prisões. Petrópolis: Vozes, 1977, p.191

Em breve: Encontro no Quintal


Caros Amigos do Quintal!

No dia 20 de dezembro realizaremos um econtro de confraternização e planos aqui no Quintal.
Aguarde divulgação com detalhes!